Notcias

Em reunio com Sintramfor, prefeito descarta terceirizao da UPA

Redao Tribuna Minas

13/04/2018 13h42

A gesto da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Formiga, no ser terceirizada, garantiu o prefeito Eugnio Vilela, em reunio com o Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Formiga (Sintramfor), na quinta-feira, dia 5.

Na oportunidade, o presidente do Sintramfor, Natanael Alves Gonzaga, questionou Eugnio a respeito da situao de servidores municipais que estavam temerosos em relao possibilidade de terceirizao da UPA e, de imediato, o prefeito garantiu que a gesto da Unidade no ser terceirizada.

Eugnio explicou que a deciso de a Administrao Municipal continuar gerindo a UPA foi tomada aps vrios estudos que demonstraram a inviabilidade da terceirizao.

Natanael destacou a posio do Sindicato em relao ao tema. O Sintramfor contra a terceirizao devido insegurana que ela geraria para os servidores, que poderiam ser remanejados e ter grandes perdas salariais, alm do reflexo negativo que causaria no Previfor, o Instituto de Previdncia dos Servidores Municipais de Formiga.

A possvel terceirizao da UPA entrou na pauta da reunio, solicitada pelo Sintramfor, a pedido de servidores que chegaram a ser comunicados sobre a iniciativa da Administrao Municipal. Com base na experincia de outros Municpios, que terceirizaram a gesto de UPAs, eles temiam mudanas desfavorveis como atraso no pagamento de salrios e precariedade nas condies de trabalho, por exemplo. Ficamos satisfeitos ao ouvir o prefeito garantir que no haver terceirizao e tranquilizamos os servidores, destacou Natanael.

A possibilidade de terceirizao de servios pblicos no Municpio de Formiga surgiu no ano passado, quando a Cmara Municipal aprovou a Lei 5.195.

Mais lidas

Lavrador morre ao ser arremessado de carro

A vtima perdeu o controle, bateu em um barranco e capotou o veculo. O corpo atingiu outro carro antes de cair na pista.

Prefeitura ter de indenizar paciente que ficou cega aps cirurgia

TJMG considerou o procedimento mdico para correo de catarata mal-sucedido. Deciso em 2 instncia e ainda cabe recurso.


SIGA O TRIBUNA NAS REDES SOCIAIS

Jornal TRIBUNA
Tribuna Minas

Todos os Direitos Reservados